A inclusão faz parte do espectro sustentável?

Por Samanta Bullock

Este é um post de Samanta Bullock e Ana Román da SB Shop .



A indústria da moda é muito mais do que apenas tendências; é uma forma de comunicar as nossas ideias e a nossa personalidade. Somos parte de um planeta diverso, com pessoas únicas e diferentes habilidades. É por isso que devemos pensar em roupas funcionais e universais, o que caracteriza a moda inclusiva.


Você sabia que existem 1,2 bilhão de pessoas com deficiência no mundo?

É hora das marcas se conscientizarem. Nos últimos dois anos, essa lacuna começou a ser preenchida, trazendo algumas mudanças positivas para essa parte da sociedade. Até marcas de alta moda como Tommy Hilfiger começaram a pavimentar o caminho para a igualdade. A moda inclusiva visa a aceitação de todas as pessoas sem exceção: roupas para todos.


Samanta Bullock, ativista da diversidade e inclusão e modelo de cadeira de rodas.


Inclusão (substantivo)

1. O ato de incluir alguém ou algo como parte de um grupo, lista, etc., ou uma pessoa ou coisa incluída:

2. A ideia de que todos devem poder usar as mesmas instalações, participar das mesmas atividades e desfrutar das mesmas experiências, incluindo pessoas com deficiência ou outra desvantagem.

Seguindo o exemplo, muitas marcas estão adquirindo uma mentalidade mais consciente e começaram a investir na moda da deficiência e finalmente começam a reconhecer e dar voz à Purple Pound; termo para designar o poder econômico das pessoas com deficiência. No Reino Unido, a indústria da moda perde cerca de meio milhão de libras semanais apenas por não ser inclusiva. Como exemplo, a SB Shop presta consultoria às marcas, fazendo com que tenham uma mentalidade inclusiva, não só através da educação, mas também criando e desenhando coleções com elas.


Moda inclusiva é quando uma roupa é projetada para ser útil a todos, incluindo a comunidade com deficiência.

O grande desafio para o futuro é a inclusão genuína. Os desfiles de moda e editoriais de revistas com modelos plus size ou com aspectos étnicos, que costumavam marcar a caixa de diversidade, sabem que isso não é mais suficiente, a população pede mais. Precisamos aumentar a visibilidade e a representatividade do topo da cadeia para que consumidores e clientes com deficiência possam se sentir refletidos e identificados como parte da sociedade. Pessoas diferentes têm necessidades diferentes, e elas devem ser consideradas.


Dito isto, se a moda inclusiva deve funcionar para todos, então… a moda inclusiva é sustentável. Por que e qual é o significado de sustentabilidade?


Modelo: Simon Kindleysides. Fotógrafo: Daniela Luquini


Sustentabilidade (substantivo)

1. Capaz de ser mantido em uma determinada taxa ou nível, por exemplo: “crescimento econômico sustentável”

2. Suscetível de ser sustentado ou defendido, por exemplo: “definições sustentáveis ​​de boas práticas educativas”

Sustentabilidade não é apenas ser verde ou ecológico, envolve também coisas que funcionam a longo prazo, como a sociedade e suas necessidades.


A moda sustentável envolve um trabalho contínuo para melhorar todas as etapas do ciclo de produção, começando pelo design. Aspiramos a um mercado mais amplo que ofereça moda para todos os cidadãos através do ajuste e flexibilidade do design. Ao projetar um novo produto, uma ampla gama de usuários não é levada em consideração, tornando a indústria mais dispendiosa. As pessoas precisam encontrar ou criar uma coleção única para atingir esse nicho, que não é sustentável.


O design do vestuário está diretamente relacionado à forma como afeta a qualidade de vida e a auto-expressão do usuário. A moda atinge 100% da população e pode ser usada como ferramenta social para causar impacto positivo. Afirmamos viver em uma sociedade diversificada. Ainda assim, como a maioria das coisas, a moda foi pensada para jovens magros, excluindo grande parte da população, especialmente pessoas com necessidades diversas. Em algum momento em todos nós, nossas habilidades motoras diminuirão com a idade. Abotoar uma camisa não será mais tão fácil quanto poderia ser agora. Nem vai prender um sutiã nas costas. Vivemos em uma era de mudanças sociais aceleradas. As mentalidades inclusivas precisam evoluir, e com isso virá o resto.



27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo